quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Dudu, juju, chup-chup, geladinho, sacolé - No Brasil só temos duas estações - dicas de verão

Apesar de oficialmente ainda ser primavera, não resta dúvidas de que estamos de fato no verão. Prova disso é o uso oficial do horário de verão que proporciona dias mais longos favorecendo aqueles que podem aproveitar uma prainha depois do expediente.

O calor médio é de 30º no Rio de Janeiro, com variações para cima em dias secos e pouca coisa para baixo em dias chuvosos, não reduzindo mais que dois graus da média.

Nessa época perde-se muito líquido, então convém aumentar o consumo destes, priorizando a água mineral de fonte, esta sim, enriquecida naturalmente de sais minerais.

Sorvetes e picolés fazem a festa da criançada nos dias de calor, mas como estas delícias estão cada vez mais caras e menos saudáveis, uma alternativa em muitas cidades brasileiras é o sacolé, apelidado de diferentes nomes segundo os costumes regionais.

Sacolé é uma bebida ensacada e congelada, vendida em bairros na casa do próprio produtor, que faz a propaganda com um cartaz em sua porta, além de contar com o boca-a-boca da clientela.

O costume foi tão difundido que a indústria se apropriou, fornecendo saquinhos específicos para produção do sorvete, assim como também as soluções e charopes para a produção do líquido. Aí temos um problema.

O que era um delicioso sorvete caseiro, feito com amor para aumentar a renda da família, se torna uma atividade exclusivamente lucrativa. Não importando o que está sendo servido às crianças.

Sacolé é gostoso, refresca, mata a sede e pode nutrir se for feito com suco de frutas da estação. Há uma variedade imensa , e as frutas da estação são bem mais baratas que um vidro de charope. Vamos ganhar uma renda extra sim, mas com responsabilidade sobre os produtos que oferecemos.

Receita de sacolé bem nutritivo que encontrei numa comunidade do Orkut, a autora é a mãe de um cearense chamado Otto

1 kg de batata doce cozida e espremida;
2 vidros de leite de coco ( ou leite de 2 cocos)
1 litro de leite ou água
açúcar mascavo à gosto



Bata tudo no liquidificador até ficar homogêneo. O ideal é que fique doce mas sem ser enjoativo, pq depois que congela o açúcar dá uma "sumidinha".

Despeje nos saquinhos com ajuda de um funil..ou de um copinho....dê um nó ou amarre com um pedacinho de cordão. Repita a façanha até acabar a mistura. Lave todos e coloque no congelador!

"Resultado: um dindin (é assim que chamam sacolé no Ceará) CREMOSO, consistente, delicioso, sabor de batata doce, de coco, de infância.... de mimo de avó... de tardinha chuvosa...ou de férias na praia!"



Fiz pequenas alterações para a receita ficar mais saudável como tirar o leite condensado (que era opicional e frizar o uso do açúcar mascavo e não do branco), no mais tomei a liberdade de reproduzir a fala de Otto, que traduz o sentimento de tomar um verdadeiro sacolé à moda antiga.

2 comentários:

  1. Bruna! Eu sou o Otto!

    Obrigado pela deferência e por ter divulgado a receita do dindin!
    Saiba que acompanho as tuas receitas no Youtube e que gosto demais do teu jeito natural e cativante de partilhar o que sabes.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana! Obrigada você por ser fazer presente! <3

      Excluir

O conteúdo aqui publicado é de caráter educacional e preventivo.

Para diagnósticos e receitas procure um médico.