segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Docinhos de Natal - receita de família

Abrindo a semana do Natal divido com vocês uma receita que está na família do meu marido há muitos anos. Seus antepassados, vindos da Alemanha, mantiveram os hábitos culinários como forma de matar as saudades de casa, por isso as colônias européias no sul do Brasil são tão vivas até os dias de hoje.



Todos os Natais a vó Diva presenteia a família com os chamados docinhos de Natal que na verdade são biscoitos em formatos animados,  decorados com glacê e confeitos. Neste ano ela nos ensinou a fazer e foi uma experiência muito divertida.


Enquanto cortávamos e pintávamos os biscoitos, a vó ia nos contando as histórias dos seus Natais de criança no interior de Santa Catarina (um estado ao sul do Brasil). Eram muitos filhos e não havia dinheiro para comprar roupa todo dia, então o presente de Natal sempre era uma roupa nova, e todos ficavam muito contentes com isso. 


Sua avó fazia os docinhos com a ajuda dos netos e depois enfeitavam a árvore com eles. As crianças não conseguiam esperar o Natal pra comer os docinhos, então o ritual tinha que se repetir algumas vezes no mês. Por que quando o Cipinik (não encontrei a confirmação da grafia) chegasse tinha que ter biscoitos pra ele. 


Cipinik era uma espécie de Papai Noel, mas na cultura deles era um homem de trajes simples, barba longa e que vinha com um saco cheio de presentes. As famílias deixavam os docinhos na árvore em agradecimentos aos presentes.


Aí vai a receita que a vó da vó Diva nos deixou:
Bata no líquidificador
3 ovos e 3 gemas
2/5 xícaras açúcar mascavo
100g manteiga clarificada
1 colher de sopa de sal amoníaco


Despeje essa mistura no trigo e mexa bem até formar uma massa homogênea e elástica. Polvilhe farinha numa superfície lisa e abra bem a massa. Use forminhas para biscoitos para cortar, vai facilitar o trabalho e dar melhor acabamento. A massa deve ficar bem fina pois ela vai crescer no forno.

Asse em forno médio ou baixo, 160º ou menos para que fique bem crocante sem queimar. Após 25 minutos tire um e prove. Estará pronto se estiver crocante.

Enquanto os docinhos estão assando use as três claras que restaram para o glacê. Bata as claras em neve até que fiquem firmes. Junte açúcar de demerara enquanto vai batendo. Exprema o suco de meio limão, isso vai deixar o glacê mais firme e menos doce. Quando estiver em ponto de suspiro estará pronto.

Tenha confeitos variados, aplique o glacê e por cima os confeitos. Arrume na assadeira e deixe secar ao tempo. Se puder deixe ao sol, seca rápido sem risco de queimar ou derreter o confeito.

Está certo quem pensou que no tempo da vó da vó Diva não tinha liquidificador nem confeitos coloridos. A família acompanha a modernização, mas nada que altere a essência da tradição.

A equipe Gororobas deseja que sua família tenha um Natal inesquecível e cheio de sabor.

Obs.: Essa receita rende 200 docinhos.

Um comentário:

  1. Desculpem, esqueci de dizer que essa receita é para um quilo de trigo.

    ResponderExcluir

O conteúdo aqui publicado é de caráter educacional e preventivo.

Para diagnósticos e receitas procure um médico.