terça-feira, 16 de outubro de 2007

O segredo da moqueca capixaba

Perdoem-me os assíduos internautas pela ausência dos últimos dias. Para me redimir trago algo especial para vocês hoje, uma pequena reportagem filmada sobre o que fazer ao comprar uma legítima panela de barro capixaba.


video

Agora que você já sabe como preparar a sua panela, vamos aos demais segredinhos da moqueca capixaba: primeira grande diferença entre a capixaba e a baiana é que uma é feita com badejo e a outra com cação. Ao visitar o Espírito Santo, irá descobrir que alguns restaurantes oferecem moqueca de cação por preços inferiores, isso acontece porque a maioria dos visitantes bem informados preferem mesmo a de badejo.

Outra importante característica é o fato de não levar azeite de dendê nem leite de coco, mas para não ficar branca como as moquecas de gaúcho a capixaba usa o cloral ou tintura de urucum, colorantes naturais para culinária.

Pescou a informação? Para fazer uma moqueca capixaba de verdade você irá precisar de postas de badejo, tomates e cebola picados em cubos médios, coentro, alho, azeite de oliva, colorau, limão e sal. E claro, boa panela de barro.

A panela de barro é a única que distribui de maneira uniforme o calor, fazendo o alimento cozinhar todo por igual. Além de indispensável para o preparo da moqueca, também é ótima para risotos, feijoadas, caldos e tortas.

Deixe o peixe marinar em vinha d'alhos, forre a panela de barros com os temperos picados, arrume as postas de peixe sobre a cama de temperos. Cuide para que não fique uma posta sobre a outra. Cubra as postas com mais tempero picado e regue com azeite e urucum. Leve ao fogo alto por 15 minutos, quando levantar fervura prove o sal, mas não mexa no peixe para não quebrar as postas. Deixe cozinhar por mais 15 minutos com a tampa bem fechada, de vez em quando sacuda a panela para o peixe não grudar no fundo. Sirva com arroz e pirão.

Na bela cidade de Vitória - ES há o mangue de onde se extrai o barro

as panelas cruas e agora já prontas para venda

Um comentário:

  1. E aí, Bruna & Bruno? Já estrearam a panela capixaba?
    Vocês vão adorar "trabalhar" com essa panela de barro.
    Como tenho várias — duas moquequeiras (largas e mais rasas), um caldeirão (mais estreito e fundo), diversas cumbuquinhas —, que uso há mais de 20 anos, meto-me a besta de lhes dar três dicas.
    1) Não usem instrumentos metálicos com a panela de barro, só madeira, bambu e os mais moderninhos, de plástico ou "silicone".
    2) As instruções para "curar" a panela estão corretas, é claro. Mas é possivel que o bico do fogão a gás concentre demais o calor no fundo da panela; as paredes laterais ficarão apenas untadas de óleo. Minha sugestão, como lhe disse em Vitória, é besuntar a panela limpa (com água, sabão e escova; esqueça o detergente poluidor) e bem seca, por dentro e por fora, com óleo e um guardanapo de papel. Depois, ponha-a no forno bem quente, até começar a querer sair uma fumacinha da panela. Espere esfriar e lave de novo com água, sabão e escova.
    3) Quanto mais for usada, melhor fica a panela. Na minha moquequeira, dá para fritar um ovo sem grudar, como se fosse revestida de antiaderente. O truque é sempre esquentar bem a panela, depois colocar o óleo ou azeite e só quando este estiver bem quente começar a refogar os ingredientes.
    Grande abraço e bom apetite!
    Frank Ferreira

    ResponderExcluir

O conteúdo aqui publicado é de caráter educacional e preventivo.

Para diagnósticos e receitas procure um médico.