segunda-feira, 10 de março de 2008

À mesa com a realeza

Tela de David Hartley - O Rei bebe


Como estamos na semana comemorativa da chegada da família real ao Brasil, vamos descobrir um pouco dos hábitos alimentares da realeza.

Enquanto Dom João VI devorava três frangos inteiros e cinco mangas de sobremesa por refeição, Carlota Joaquina abusava da água ardente. Ela tomava cachaça misturada com sucos de frutas frescas, pois sofria demais com o calor brasileiro. Foi a criadora da caipirinha, a mistura de sal com amoníaco gelava a bebida.

Para quem já vai julgando a princesa de pinguça, há uma explicação para o alto consumo do álcool na cozinha do palácio de Carlota, as mulheres comiam muito doce nesta época, e a cachaça era usada para conservar compotas de frutas.

O filho do casal, dom Pedro I, não dispensava um bom prato de arroz com feijão. Preferia fazer as refeições na cozinha a comer na sala de jantar. Tem um lado bem humano, de estar com as pessoas do povo.

Princesa Isabel, filha de dom Pedro II, adorava os doces portugueses e sempre tomava chá com pão-de-ló. Outra de suas preferências era o sorvete. Nas sobremesas das refeições reais sempre tinha dois tipos de doces e um gelado.

Já seus pais, sentavam-se à mesa com pelo menos quatro pratos, dois de carne e dois de peixe, preparados com amêndoas, nozes e muito creme. Receitas tradicionais na Europa.

Como a manga, outras iguarias brasileiras caíram no gosto da realeza como, goiaba, mandioca e tapioca.

Esses dados foram levantados pela pesquisadora Ana Roldão, após abrir um bistrô no museu de Petrópolis, no qual é possível saborear receitas do livro do cozinheiro imperial.


Caipirinha de Carlota

dois limões
uma dose e meia de cachaça
açúcar
uma pitada de sal de amoníaco (sugiro a moderna
substituição
por gelo picado)
_________________________________________________
Corte as extremidades do limão,
parta em quatro e
retire a película branca que divide os gomos,
coloque no copo e junte a cachaça e o açúcar à gosto.
Use um pilão para extrair o sumo do limão e misturar
os ingredientes, derrame a mistura numa coqueteleira
com o gelo picado ou o amoníaco salgado, agite bem e
devolva ao copo.

Aprecie com moderação.

Carlota consumia duas garrafas de cachaça por dia, mas ela não era nada saudável.

Um comentário:

O conteúdo aqui publicado é de caráter educacional e preventivo.

Para diagnósticos e receitas procure um médico.